07 junho, 2016

Sobre se amar...


 Hoje eu vim falar sobre algo que sempre me atrapalhou, a  baixa auto estima. Se amar sempre foi minha maior dificuldade, e talvez a de muitas pessoas que estão lendo agora. Venho com dois depoimentos meus bem ruins de muitos outros que existem, só pra mostrar o quão a falta de amor nos prejudica. E como eu consegui vencer isso, ou quase...



                   
                           (escute esta musica como trilha sonora do post, vai <3 )

Bom, eu sempre fui gordinha. Mamãe costuma brincar com isso até hoje, pois meu apelido era pãozinho doce haha. Eu não me sentia incomodada com isso quando criança sabe? Era tudo muito de boa, afinal, havia desenhos, um quintal inteiro só pra mim e pessoas que me amavam. Pra que se preocupar com o corpo?

Eu precisava estudar, e desde cedo comecei a sentir uns certos preconceitos sobre meu peso, mas na época nem era considerado Bullying mas só encheção de saco mesmo. Eu até me importava as vezes mas não era sempre, eu ainda era criança com uma infância muito linda por sinal, eu queria era aproveitar! Mas com 13 anos, isso não foi só encheção, começou a afetar minha vida pessoal, começou a afetar meu psicológico, começou a afetar minha auto estima. Apelidos de mau gosto eram como facadas a cada vez que pronunciavam. Eu tinha muitos amigos, fui me afastando, afastando... até ficar só. A solidão começou a ser  minha melhor amiga, cada vez mais distante de tudo e de todos, quando saía em público me sentia apertada e sufocada, e voltava aos prantos pra casa, pois achava que todos do ambiente riam de mim. Meus pais antes, eram as únicas pessoas com quem eu falava mas nessa época, até deles eu me afastei. E como o poema da Clarice Lispector (clique e leia vai, não irá se arrepender <3 ) diz : "Já tive medo do escuro, hoje no escuro me acho, me agacho, fico ali".

 E foi aí, que entrei em depressão. Talvez os piores meses da minha vida. Muitas vezes eu estava no colégio, sentada em um canto , sozinha, chorando apenas querendo sumir, ou pensando como eu me mataria. Eu oro às vezes pra poder esquecer de tudo isso, mas esse passado me serve de exemplo, o passado ao qual eu não quero retornar. Durante uma noite eu tive uma reação ao qual eu nunca imaginara tomar. Para mim, não passaria daquela noite. Para mim, era o fim. Eu estava deitada no chão do meu quarto durante aquela noite, e comecei a relembrar da minha infância, como era bom tudo aquilo, como eu era feliz e como as pessoas me amavam. Ao meu lado, havia uma bíblia, e pela primeira vez comecei a folhear, procurando ajuda, uma saída. E foi quando eu percebi, que havia alguém que me amava, eu vi alguém que deu a vida dEle, pra que eu pudesse viver E EU ESTAVA TENTANDO ME MATAR! Alguém que não se importou se eu era gorda, se eu tinha espinhas, ou se meu cabelo não era "bom". Ele só me amou. Comecei a me aprofundar mais, a saber mais dele, a amar mais a tudo e à  todos e sabe? As pessoas ainda me amavam, meus amigos ainda me amavam, minha família ainda me amava e quem não amava era eu. Comecei a lutar pra mudar minha situação e quer saber? Eu venci! Graças à  minha família, amigos e principalmente aquele que morreu por mim. Eu não estou dizendo que você está em depressão é por falta de Deus ou algo do tipo, apenas o que ele fez por mim.E desde então eu tenho lutado todos os dias, amado todos os dias à pessoas e a eu mesma. Mas o complexo de inferioridade infelizmente ataca às vezes sabe? Então não me vejo totalmente liberta dele.


 Esse ano ele acabou me impedindo de começar coisas boas, e também de terminar muitas coisas melhores ainda. Se amar ainda tem sido muito difícil, e é aí que lhes conto mais uma das aventuras de uma pessoa insegura! Vocês serão os primeiros à saber haha.


Eu conheci um menino em meados de Abril. Infelizmente acabei o conhecendo em uma das épocas mais críticas da minha vida. Crise afetando a família, uma garota que ficava em casa durante o dia inteiro que às vezes ao invés de estudar ficava deitada se lamentando e chorando por não ter mais a vida social que tanto amava. No inicio eu não dava muita bola, eu confesso. Mas depois de muitas conversas a pessoa aqui ficou apaixonadinha hahaha. Eu sempre pedi à  Deus no momento certo é claro, alguém como ele.Gostava de star wars, quadrinhos... Mas o drama já começou porque não nos conhecíamos pessoalmente. Minha mente: "BRUNA VOCÊ É GORDA!!!!!! NÃO ILUDI O COITADO, SUAS FOTOS SÃO MUITO DIFERENTES DA REALIDADE! FALA TAMBÉM QUE VOCÊ TEM MEDO, NÃO ENGANA ELE, JÁ PENSOU QUANDO VOCÊ O ENCONTRAR E ELE SAIR CORRENDO?? TU ESTÁ NA PIOR FASE DA TUA VIDA! TEM QUE ESTUDAR PRO VESTIBULAR, E QUANDO PASSAR? VAI SE MUDAR E NAMORAR A DISTANCIA SUA DOIDA?" 

 Ele demonstrava não se importar em meio aos meus lamentos. O que me deixou ainda mais assustada. Só pensava o quão seria vergonhoso pra ele sair com uma pessoa como eu, e como apresentar alguém como eu pros amigos? Isso me atormentava. E foi então que resolvi tomar a atitude provavelmente mais insegura de todo o mundo, me afastar. Uma semana se passou, ele ainda achava que o problema estava nele. Eu perdi, perdi provavelmente a oportunidade de ter ao meu lado pessoas maravilhosas, por conta da minha baixa auto estima.

O problema estava em mim, estava na minha cabeça, o problema era eu. Achando que não era boa o suficiente, que não era bonita o suficiente, que não tinha o suficiente... E se eu não me amava, quem me amaria?


É ilusão achar que apenas com a frase: "Você é linda de qualquer jeito! se ame!" a pessoa com complexo de inferioridade irá se curar, é necessário todo um processo de auto aceitação, provando pra você mesma através de gestos, que você é sim o suficiente! Que você pode sim! Que você irá conseguir sim! Veja bem, eu não estou dizendo que você irá se amar sempre e que não terá um dia ruim. Mas que com o amor próprio, dias que seriam ruins se tornam mais prazerosos e valorosos. 


Com esses depoimentos quis provar que com nossa auto estima abalada perdemos sim pessoas, momentos que poderiam ser os melhores. 


Esse post não é só direcionado apenas à mulheres, mas à  todos que passam pela falta de auto aceitação todos os dias.


E eu espero que esse post tenha sido útil e ajudado pelo menos uma pessoa, que já está bom de mais pra mim

31 comentários:

  1. Primeiramente, parabéns pelo texto, adorei <3

    Entendo perfeitamente sobre isso. No meu caso, eu sofro preconceito até hoje por ser magra, alguns dizem que estou com anorexia uhauha-qq
    Concordo plenamente sobre 'E se eu não me amava, quem me amaria?'

    http://itslizzie.space/


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amada, venceremos qualquer complexo, é só acreditar <3 Um beijo!

      Excluir
  2. Post maravilhoso! Amiga por que você não correu atrás do Boy??? kkk Parei o ponto que mais refleti foi: "É ilusão achar que apenas com a frase,a pessoa com complexo de inferioridade irá se curar." Sei bem disso e já passei por muitos problemas com minha autoestima. Quando fiquei com depressão demorei a sair. Ninguém pareceu notar, só minha irmã que achava que eu estava doente. Minha solução também foi recorrer a Deus. Eu o amo acima de tudo e todos e sei que ele também me ama.
    Jardim de Palavras
    Vintage Feelings
    Grande Vaidosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha Acho que ele merece muito mais amor do que eu poderia oferecer. Só estarei pronta pra amar quando eu me amar primeiro. Pq como conseguirei amar se eu mesma não me amo? Confuso né? Hahaha Mas ele vai achar ou achou alguém, ele merece.
      Pois é, se o complexo curasse após frases assim, eu seria um "Narciso" da vida de tanto amor próprio hahaha. Obrigada por comentar, amada. Um beijo <3

      Excluir
  3. Amei seu texto, e realmente é muito difícil se amar nos tempos de hj, onde a beleza física é levada mais em conta que a interior. Ainda estou no meu processo de aceitação porque sofro muito por ser magra demais rsrsr, mas sei que vou conseguir, até porque 'se eu não me amar', quem me amaria?
    Beijinhos Caramelizados...
    www.encontrodmeninas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irá conseguir passar por isso, é só acreditar! Beleza é a mais relativa do mundo, oq pode ser bonito pra mim, pode não ser pra você e versa. Obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  4. Texto incrível e muito inspirador. Também sofri bastante quando mais nova em relação ao meu baixo peso. É demorado, mas quando a gente se aceita e se ama parece que nem quem nos incomodava, incomoda mais ;)
    boa semana :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  5. Poxa, Bru. Que louco tudo isso. É horrível quando a gente percebe que tava lá no "fundo do poço", tentando se matar e super depressivo. A vida é uma só, é só isso que a gente tem, o agora, o presente. Temos que ser fortes, pensar nas coisas boas que existem, pensar que podemos alcançar as coisas que mais desejamos e amamos. Então eu queria te parabenizar por ser forte, por tua história de superação, apesar de todas as dificuldades. Muito bacana tu compartilhares isso aqui com a gente *-*


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  6. Amo textos assim, são muito inspiradores, parabéns <3

    ResponderExcluir
  7. Que texto incríveeeeeel! Sério, parabéns!
    Eu me identifiquei MUITO. Eu também sofro com esse o complexo de inferioridade, baixo autoestima e é foda :(
    Luto contra isso todos os dias, tentando me amar mais do jeito que eu sou, e não me colocando tantos defeitos. Tem uma música do Simple Plan que tem uma frase que diz: "it's ok to be myself" tento sempre lembrar disso.
    E quando os caras que eu tô afim não se importam muito comigo eu também sempre me questiono "será que eu não sou bonita o suficiente, que não tinha o suficiente..."
    Boa sorte pra nós, espero que saibamos nos amar mais ♥

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa música*-* Espero que consiga vencer, estou mandando todas as energias positivas daqui! Haha Muito obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  8. Amei o texto, maravilhoso.
    Beijinhos.
    http://www.amordeluaazul.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Nossa =/
    Também já tive dificuldades com a aceitação do corpo. Em minha fase mais cheinha, colegas e parentes ficavam falando pra eu fazer isso e aquilo pra emagrecer, que eu tinha que cuidar e tals.. Por um lado eu os entendo, mas, eu mudei só por mim, mudei pra mim, e não pra eles, e pude perceber que minha alegria voltou, me sinto melhor comigo mesma.. Não é fácil se aceitar, deixar as complexões de lado, mas devemos se amar sempre <3

    Beijos Meninas!!

    www.caentrenosmiga.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é o mais importante. Mudar por você e não pelos outros. Já deixo aqui minha admiração por você haha Um beijo <3

      Excluir
  10. Adorei o texto, ja passei por situações parecidas e isso acaba nos deixando com a auto estima lá em baixo, mas com o tempo fui aprendendo a me aceitar e hoje mais do que nunca uso o meu amor próprio antes de tudo, afinal temos que nos amar primeiro para depois amar os outros né?!
    Adorei o post
    Beijinhos

    www.ateliedabianca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Adoreeeei o texto. Há uns dois anos atrás eu me sentia assim também, só queria sumir. Mas eu acho que quanto mais a gente amadurece, a gente acaba percebendo que essas coisas não são tão importantes e você meio que liga o foda-se, sabe? hahaha
    Adorei o post e o blog <3

    Beijos!
    Meu Conto de Fada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha Adorei a dica, amada. Vou seguir com certeza. Beijo<3

      Excluir
  12. Oi Bruna!
    Poxa vida, complicado isso de bullying, né? Também sofri, mas foi pelo contrário: eu era (e ainda sou) bem magra. Acabei aprendendo que beleza varia de pessoa pra pessoa, e que babacas sempre, SEMPRE vão dar um jeito de implicar com quem eles acham diferentes. É como eu sempre digo: populares do colégio raramente se tornarão pessoas interessantes na vida adulta. Fico muito feliz que você tenha se encontrado em Deus e desistido dessa ideia maluca de suicídio, ficando mais forte depois dessa situação. Realmente, Ele nos ama do jeito que somos. É que nem aquela música ds Lady Gaga "sou bonita do meu jeito, pois Deus não comete erros".
    Beijos!

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente,Duane. Pessoas pra nós colocar pra baixo e nos humilhar não vão faltar. Resta à nós sabermos lidar com isso ou não. Obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  13. A sua iniciativa é incrível! Sério, não é todo mundo que tem coragem de abrir o coração desse jeito e falar da vida real. Essas coisas que acontecem são realmente muito difíceis de superar, mas mesmo vc estando melhor, ainda lhe desejo toda força e coragem do mundo para você continuar! Eu tenho transtorno de ansiedade, e as vezes tenho vontade de me afastar das pessoas para que elas não sejam "obrigadas" a passar por isso comigo, mas as vezes a gente tem que acreditar nelas para ser ajudado! Beijos!

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elas precisavam ser compartilhadas para servir de exemplo o quão isso nos afeta. Fiquei meio reciosa no início mas resolvi abrir meu coração de vez haha. Espero que consiga vencer esses transtornos, de verdade. Um beijo e obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  14. Gostei muito de você ter relatado sua experiência, amore <3 Serve meio que como um aprendizado pra quem se sente assim também e não sabe como prosseguir. Mas enfim, só desejo que seja feliz com quem você é, seja gorda ou não, até porque além da questão de saúde só é ruim se você achar ruim. Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada, por todo apoio <3

      Excluir
    2. Muuuito obrigada, por todo apoio <3

      Excluir
  15. Simplismente amei o que vc escreveu,nos dias de hoje esta cada vez mais dificil o amor e o cuidado entre as pessoas...Que vc seja muito mais muito feliz,desejo do fundo do meu coração!!!
    Seguindo,beijos ;)

    www.vanessamartins.blog.br

    ResponderExcluir
  16. Bruna, achei seu relato muito profundo e sincero! Todo mundo passa por isso, até a pessoa que parece "não ter do que reclamar", o que prova que se amar é sim um trabalho espiritual, mental e emocional. Obrigada por ser autêntica e por encorajar as pessoas a verem que baixo autoestima tem solução sim!
    Beijos!
    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir